Impressions of São Paulo nordestina: Between territories and identities in the collective imaginary

Keywords: migrations, identities, imaginary, Northeasterners, São Paulo

Abstract

The objective of this analysis is centered on the search for elements of the social imaginary that define the northeastern cultural identities formed and maintained outside the northeast, especially in São Paulo, one of the largest centers of concentration of migrants, in which religiosity, festivity and symbolic images of this imaginary form privileged spaces and stages for symbolic-territorial processes of regionalization based on cultural and devotional practices that traveled through Brazil and moved to the largest city in the country. Thus, the ways of conceiving these places, their definitions, and contours in the (trans) formation of the traits of the Northeastern culture, including accents, colors, flavors, memories, and religiosity in the largest concentrations of Northeasterners outside of their own, were privileged for analysis and interpretation place of production of meaning. From these references and cultural representations, its main relationships and meanings were glimpsed in the construction of the imaginary for society. As a methodology, the analysis of images of places of memory and territories that contemplate migrant experiences and memories was privileged, in addition to a bibliographic review on the production of identities. As a result, reflections on the idea of​maintaining migrant identities in other lands through collective imagery are painstaking.

References

Abreu, C. (2016). Um pedaço do Nordeste em São Paulo (2a ed.). CTN.

Andrighetti, Y. (2000). Nordeste, Mito e Realidade. Moderna.

Berger, P., & Luckmann, T. (2004). A construção social da realidade: Tratado de sociologia do conhecimento (24a ed.). Vozes.

Borges, S. S. (2007). O nordestino em São Paulo: desconstrução e reconstrução de uma identidade [Dissertação de mestrado, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo]. Biblioteca Digital PUC-SP. https://sapientia.pucsp.br/bitstream/handle/13035/1/Selma%20Santos%20Borges.pdf

Chartier, R. (1990). A História Cultural entre práticas e representações. Bertrand Brasil.

de Albuquerque Jr., D. M. (1999). A Invenção do Nordeste. Cortez.

Durand, G. (1988). A imaginação simbólica. Cultrix; EDUSP.

Durand, G. (1997). As estruturas antropológicas do imaginário. Martins Fontes.

Durand, G. (2004). O imaginário. Rio de Janeiro: Difel.

Durand, G. (2007). As estruturas antropológicas do imaginário. Presença.

Galhardo, S. (2007). Os conterrâneos nordestinos na metrópole de São Paulo: Seus símbolos, sua memória e seus mitos. Anais do III ENECULT - Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura. Faculdade de Comunicação/UFBa, 23-25.05.2007, Salvador, Brasil. http://www.cult.ufba.br/enecult2007/SoledadGalhardo.pdf

Giddens, A. (1997). A constituição da sociedade. Martins Fontes.

IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). (2011). Perfil dos migrantes em São Paulo. Comunicado do IPEA. Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República.

Maffesoli, M. (2001). A Transfiguração do Político: A tribalização do mundo. Sulina.

Nora, P. (1993). Entre história e memória. A problemática dos lugares. Projeto História, (10), 7–28.

Paes, J. M. (2009). São Paulo em noite de festa: Experiências culturais dos migrantes nordestinos (1940-1990) [Dissertação de Mestrado, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo]. Biblioteca Digital PUC-SP. https://tede2.pucsp.br/bitstream/handle/13134/1/Jurema%20Mascarenhas%20Paes.pdf

Penna, M. (1992). O que faz ser Nordestino: Identidades sociais, interesses e o “escândalo” Erundina. Cortez.

Rigamonte, R. C. (1997). Sertanejos Contemporâneos: Entre a metrópole e o Sertão [Dissertação de mestrado, Universidade de São Paulo].

Rolnik, R., Nakano, K., & Cymbalista, R. (2008). Urban Land and Social Housing in Brazil: the issue of land. In: Participatory Master Plans. The Challenges of Democratic Management in Brazil: the right to the city. São Paulo: Instituto Pólis/Fundação Ford.

Sodré, M. (2002). Antropológica do espelho: Uma teoria da comunicação linear e em rede. Vozes.

Velho, G. (1987). Individualismo e Cultura: Notas para uma Antropologia da sociedade contemporânea. Jorge Zahar.

Velho, G. (1994). Projeto e metamorfose: Antropologia das sociedades complexas. Jorge Zahar.

Véras, M. P. B. (1994). Cortiços no Brás: Velhas e novas formas de habitação popular na São Paulo industrial. Análise Social, 29(127), 599–629.

Woodward, K. (2003). Identidade e diferença: Uma introdução teórica e conceitual. In T. T. da Silva (ed.), Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais (pp. 7–71). Vozes.

Zito, R. (2010). SP 460 anos. Monumentos para entender. Esculturas e marcos da capital paulista ajudam a explicar trajetória da metrópole. G1. http://g1.globo.com/sao-paulo/sp-460/sp-em-monumento/platb/category/sem-categoria/

Published
2021-06-30