Patrimony of Nordestine Migration: Cordel Literature in Rio de Janeiro and São Paulo, Bra-zil

  • Elis Regina BARBOSA ANGELO Federal Rural University of Rio de Janeiro (Brazil)
Keywords: São Paulo, Rio de Janeiro, heritage, cordel literature, migrations

Abstract

TThe migrations of Northeastern people form new cultural territories in Brazil and reinvent their heritage, using allegories and symbols, and combining their various meanings given over time by innumerable “(re)invention” questions. The new cultural territories formed from the insertion of social subjects in metropolitan cities such as São Paulo and Rio de Janeiro are making their marks and trajectories, whether in the neighborhoods or in the territories they adapt to their representations and cultural expressions. In these migratory processes, we perceive meanings and other aspects produced by an "image" of the Northeastern, allegorically represented in concepts and preconceptions throughout the generations of these migrants. Thus, it is possible to understand, from the mechanisms of this creation and representation, the diversified identifications that corroborate the understanding of what is the cultural territory and identities, especially permeated by the idea of ​​regionalization, criticized by the condensation already posed in the history of the Northeast and what it represents. As a methodology, the paper utilizes discourses produced by historical subjects, through Oral History, the various experiences that can delimit and define the reinventions and re-significances of cordel literature together with their suit as a national intangible heritage. From the territories and their images in the cities, the paper tries to apprehend their legitimacy and maintenance, both with reference to popular imagination, and in the nooks and crannies of the cities of São Paulo and Rio de Janeiro, protagonists of these meanings of the migrant cordel heritage.

Author Biography

Elis Regina BARBOSA ANGELO, Federal Rural University of Rio de Janeiro (Brazil)

PhD in History from PUC / SP, Adjunct Professor at UFRRJ in the Department of Administration and Tourism and in the Postgraduate Program in Heritage, Culture and Society

References

Abreu, C. (2016). Um pedaço do Nordeste em São Paulo. 2ª ed. São Paulo: CTN.

Albagli, S. (2004). Território e territorialidade. In: LAGES, V.; BRAGA, C.; MORELLI, G. (Orgs.). Territórios em movimento: cultura e identidade como estratégia de inserção competitiva. Rio de Janeiro: Relume Dumaré; Brasília: SEBRAE.

Alberti, V. (2005). Histórias dentro da história. In: Pinsky, C. B. (Org.). Fontes históricas. São Paulo: Contexto.

Albuquerque Jr., D.M. (1999). A invenção do Nordeste e outras artes. 1ª ed. Recife: Massangana.

Albuquerque Jr., D.M (2006). A invenção do Nordeste e outras artes. 3ª ed. Recife: FJN, Ed. Massan-gana; São Paulo: Cortez.

Alivizatou, M. (2012). Debating heritage authenticity: Kastom and development at the Vanuatu Cul-tural Centre. International Journal of Heritage Studies (18), 2, 124-143.

Amado, J.; Ferreira, M. (2005). Usos & Abusos da história oral. 7ª ed. Rio de Janeiro: Editora FGV.

Angelo, E.R.B.; Barros, L.O.C. (2017). Territórios culturais no Rio de Janeiro: A Feira de São Cristó-vão. Rio de Janeiro: Autografia.

Angelo, E.R.B.; Barros, L.O.C. (2018). Representações culturais, migração e patrimônio: um trinômio da literatura de cordel no Rio de Janeiro e São Paulo. Anais do II Simpósio Científico do ICOMOS Brasil. Belo Horizonte: Even3.

Bhaba, H.K. (1998). O local da cultura. Belo Horizonte: UFMG.

Bosi, E. (1987). Memória e Sociedade: Lembrança de Velhos. São Paulo: T. A. Queiroz- Edusp.

Brasileiro, O.J.; Silveira, R.C. (2013). Literatura e oralidade no cordel: identidade e Memória cultural nordestina. Nau Literária: crítica e teoria da literatura em língua portuguesa (09), 01, jan./jun. 2013, 3-11.

Chaves, G. (1999). Feira de São Cristóvão. Rio de Janeiro: Relume-Dumará.

Ennes, M.A.; Marcon, F. (2014). Das identidades aos processos identitários: repensando conexões entre cultura e poder. Sociologias (16), 35, 274-305.

Galhardo, S. (2007). Os conterrâneos nordestinos na metrópole de São Paulo: seus símbolos, sua me-mória e seus mitos. Anais do III ENECULT - Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura. Salvador: Faculdade de Comunicação/UFBa, 23 a 25 mai. 2007.

IPEA, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (2011, out. 6). Perfil dos migrantes em São Paulo. Comunicado do IPEA. São Paulo: Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da Repúbli-ca.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2012). Censo Demográfico 2010. Nupcialidade, fecundidade e migração – Resultados da Amostra. Rio de Janeiro: IBGE. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/98/cd_2010_ nupcialida-de_fecundidade_migracao_amostra.pdf.

IPHAN, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (2018, set. 18). Literatura de Cordel ganha título de Patrimônio Cultural Brasileiro. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/noticias/detalhes/4833/literatura-de-cordel-e-reconhecida-como-patrimonio-cultural-do-brasil.

Lefebvre, H. (1986). A produção do espaço. Paris: Anthropos.

Nemer, S. (2007). Glauber Rocha e a literatura de cordel: uma relação intertextual. Rio de Janeiro: Edições Casa de Rui Barbosa.

Nemer, S. (2012). Feira de São Cristóvão: contando histórias, tecendo memórias. Tese (Doutorado em História Social da Cultura), PUC-Rio, Rio de Janeiro.

Paiva, O. C. (2015). Imigração, patrimônio cultural e turismo no Brasil. Anais do Museu Paulista. São Paulo, v. 23. n. 2, jul.-dez./2015, 211-237.

Pollack, M. (1992). Memória e identidade social. Estudos Históricos (5), 10, 200-212.

Portelli, A. (1997). Tentando aprender um pouquinho. Algumas reflexões sobre a ética na História Oral. Projeto História (15), abr./1997, 13-49.

Poulot, D. (2009). Uma história do patrimônio no Ocidente. São Paulo: Estação Liberdade.

Depoimentos
Fraga, M. (2017). Entrevista realizada em 25 ago. 2017, na Praça da República, em São Paulo.

Lima, M.L. (2018). Mena - Madrinha Mena. Entrevista realizada em 04/ abr. 2018, na ABLC - Aca-demia Brasileira de Literatura de Cordel, no Rio de Janeiro.

Santos, J.J. (2017). Coordenador do Núcleo de Cultura Popular e Repente de Viola. Mensagem de e-mail enviada em 19 mai. 2017.
Published
2018-12-31